Publicado por: Duarte | 26 Setembro, 2009

Gripes e constipações, que fazer ?

É caso para perguntar o quê que um licenciado em Ciência Política tem para dizer sobre gripes e constipações, para além de dados estatísticos, problemas sociais resultantes destas doenças ou que políticas de saúde estão a ser tomadas para as combater?

De facto seria assim se não tivesse por habito dar grande atenção aos meus problemas de saúde, lendo tudo aquilo que os especialistas, nesta matéria, vão publicando para leigos como eu.

Nos dias que correm, em que a chamada gripe das aves levantou ondas de grande alarmismo, admitindo que justificáveis, e agora a gripe A (H1N1), veio-me á memória um texto da responsabilidade do Centro de Saúde de Loures, há cerca de 10 anos, sobre constipações e gripes, que tinha arquivado numa pasta sobre saúde.

O texto era de tal modo interessante e esclarecedor que não resisto a reproduzir o que considero mais relevante, pois tem plena actualidade nesta conjuntura e época do ano.

Refere o texto com clareza, que tanto a constipação como a gripe são provocadas por vírus, e que para estes vírus não existem medicamentos, pois os antibióticos quando  usados são para combater as Bactérias que temos permanentemente connosco e que se reproduzem e propagam em grandes quantidades quando o organismo humano se encontra debilitado pelos vírus.

Pela utilidade destas informações do C. de Saúde de Loures, transcrevo alguns trechos.

A Constipação é uma inflamação da mucosa das fossas nasais, provocada por um vírus, com muitas variantes, e os vírus não são sensíveis aos antibióticos.

Estes vírus são particularmente activos durante o tempo frio e húmido, o que explica porque nos constipamos mais facilmente no Inverno.

O primeiro sintoma é uma espécie de irritação no nariz. Logo a seguir começam os espirros e o nariz pinga ou fica “entupido”. Por vezes a garganta fica seca e aparece a tosse.

Os bebés e as crianças ficam, frequentemente, febris.

Como diz a sabedoria popular. sem tratamento a constipação dura sete dias; com tratamento, dura uma semana.

O melhor a fazer é repousar, de preferência em ambiente aquecido, mas não seco, tomar refeições ligeiras e beber, abundantemente, água, tisanas, sumos de fruta ou chá fraco.

Um remédio caseiro económico e para o qual não se conhecem contra-indicações é o soro fisiológico. Basta dissolver uma colher de sopa de sal refinado num copo de água morna, previamente fervida e aplicar três a quatro gotas em cada narina.

A gripe, tal como as constipações, é provocada por um determinado vírus que tem a característica de poder modificar-se periodicamente, escapando dessa forma às defesas elaboradas pelo nosso organismo.

Os sintomas da gripe manifestam-se muito bruscamente, com febres e arrepios, dores de cabeça e de garganta, forte sensação de fadiga e dores no corpo. A partir do segundo ou terceiro dia, o corrimento nasal torna-se abundante e o doente começa a tossir. Depois, os sintomas desaparecem pouco a pouco e a cura sobrevém normalmente ao fim de sete a dez dias.

No entanto, em certos casos, podem surgir complicações infecção dos brônquios, dos ouvidos ou do tubo digestivo, provocadas por bactérias.

Este género de complicações é mais frequente nas mulheres grávidas, nos fumadores, nas crianças pequenas e nas pessoas idosas.

Não existindo ainda nenhum remédio eficaz contra o vírus da gripe, tal como acontece com o vírus da constipação, a única coisa que se pode fazer é aliviar os sintomas ou seja, ficar na cama, bem agasalhado, assim como beber abundantemente bebidas quentes, e tomar refeições ligeiras, para suportar melhor os sintomas da gripe.

O aumento da temperatura do corpo limita consideravelmente a multiplicação do vírus, logo nem sempre convém baixar a febre, a não ser que ela suba acima dos 38,5ºC.

Pode aliviar-se a obstrução nasal utilizando gotas, “sprays” ou comprimidos. Para acalmar a tosse, tome uma bebida quente e açucarada. Não tome nenhum xarope anti-tússico se não for absolutamente necessário. Só os xaropes expectorantes estão indicados.

Pode recorrer a anti-piréticos (medicamentos destinados a baixar a febre), durante alguns dias.

Uma prevenção que parece razoável consiste em vacinar os indivíduos de alto risco, como é o caso dos maiores de 65 anos, diabéticos, doentes de alto risco (afecções cardíacas, renais ou pulmonares crónicas).”

O texto do C. de Saúde de Loures, que tenho vindo a citar, é de grande utilidade, e termina referindo que só se deve recorrer ao Centro de Saúde após três dias consecutivos de febre (apesar dos anti-piréticos), o mal-estar persistir e se as  dificuldades respiratórias se agravarem.

Na actualidade, a Linha de Saúde 808 24 24 24 é a solução ideal para se evitar deslocações desnecessárias.

Deste texto vale a pena reter a afirmação de que não há  nenhum medicamento para combater estes  vírus, existem, isso sim, medicamentos que aliviam outros problemas provocados pelo vírus, como sejam os antipiréticos para o aumento de temperatura ou os antibióticos que são usados para combater as bactérias, quando estas se propagam numa dimensão que ultrapassa a capacidade do organismo as combater.

Acompanhar atentamente as orientações das Autoridades de Saúde é determinante para se evitar situações de grande alarmismo, na propagação desta doença, com a qual a humanidade convive há milénios.

Advertisements

Responses

  1. Caro Nuno, espero que já tenha feito o seu dever cívico. Estou de saída para o mesmo.
    Oportuno, conveniente e muito sério tecnicamente.
    Quem disse, que o diabo não sabe sabe muito por ser diabo mas sim por ser velho?
    Um abraço e boa saúde.
    A.Ramalho.

  2. Este ano e com o aparecimento da Gripe A e ao histerismo generalizado, a indústria farmacêutica conseguiu sair da crise e ter lucros que nesta altura seriam impensáveis.

    Segundo alguns artigos de opinião que tenho sempre o prazer de ler, a gripe sazonal mata muitos mais do que a dita Gripe A.

    Isto acontece devido á falta de cuidados de higiene e de civismo que as populações em geral têm e que todos nós vemos no dia-a-dia. Basta andar num lugar público e as pessoas espirram para o ar, espirram para a mão e cumprimentam o seu semelhante, etc.

    Quando vou ao supermercado, antes de pegar num carrinho para as compras, limpo sempre com um lenço desinfectante as pegas e o banco onde o meu filho se senta, faço isto desde sempre (meu filho tem 3 anos) e era com algum graça que via as pessoas a olharem de lado com se eu fosse um extraterrestre, hoje com a Gripe A observo que algumas pessoas começaram a fazer o mesmo.

    Os planos de contingência adoptados pelo Ministério da Saúde e a comunicação social causaram na população um medo e receios desproporcionados, mas que em meu entender tiveram o seu efeito pedagógico e alertaram as pessoas para os cuidados a ter para evitar o contágio de qualquer tipo de gripe.

    As campanhas de vacinação que todos os anos por esta altura se realizam com uma vacina que de ano para ano é diferente, vai-se juntar outra que foi desenvolvida por duas indústrias farmacêuticas e que em meu entender não foram testados de forma conveniente tendo muitos efeitos secundários.

    Qualquer gripe é grave dependendo da idade e do estado de saúde da pessoa e estou certo com os resultados alcançados com este negócio da saúde, no próximo ano teremos uma nova gripe com outra letra do alfabeto e que colocará na mão de muitas empresas um bom lucro.

  3. encontrei a respost q eu qria

  4. Excelente, esto me servirá de mucho, la verdad que es bueno conseguir sitios web como este, ahora mismo comenzaré un proyecto muy relacionado.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: